Introdução Alimentar

BLW

A sigla BLW significa, baby-led weaning, ou seja, introdução alimentar guiado pelo bebê.  Nessa nova abordagem, se preconiza a alimentação em pedaços desde o início, e deixa que os bebes explorem o alimento – sintam a textura/gosto.

 

“Em geral, bebês que se alimentam sozinhos aceitam uma grande variedade de alimentos.”

 

Para que o bebe se torne apto para iniciar o BLW, é importante prestar atenção em alguns critérios, tais como:

– Sentar-se sozinho, sem apoio e segurar os objetivos à mão;

– Nascido à termo;

– Desenvolvimento típico;

A introdução de alimentos se inicia a partir da prontidão do bebe para receber alimentos sólidos, e isso só acontece a partir do desenvolvimento das habilidades motoras, como por exemplo: a compreensão do objeto/alimento e sua manipulação de uma mão para a outra;

No início, a alimentação começa como uma brincadeira, e o bebê, por ser curioso, vai se interessando pelo alimento, e tornando esse momento prazeroso.

Em geral, bebês que se alimentam sozinhos aceitam uma grande variedade de alimentos. Isso acontece, porque eles saboreiam os alimentos, experimentam as texturas, cores, tamanhos e formatos. E é visto que tendem a se tornar crianças/adultos menos seletivas.

Comenta-se muito sobre o BLW ser uma abordagem de introdução alimentar arriscada, e que tem muitos casos de engasgo:

– Primeiramente é importantíssimo entender o desenvolvimento/habilidade motor fina do bebe. Todo seu desenvolvimento oral precisa estar em perfeita sintonia com seu desenvolvimento global e não há necessidade de estimular. Por isso que cada bebe tem o seu tempo.

-Outro fator importante é que na introdução do BLW, alguns alimentos que tem menor risco e outros tem alto potencial de risco de engasgo;

-A mãe/cuidador deve SEMPRE SUPERVISIONAR E INTERVIR (MANOBRA DE DESENGASGO) quando necessário;

– É fundamental ter segurança no bebê: A partir dos 6 meses, o bebe desenvolve o reflexo de gag- reflexo protetor contra o engasgo, em que o bebe devolve o alimento mal deglutido para frente da boca; (Parece uma ânsia de vômito);

Desta forma, é importante que os pais que desejam iniciar o BLW tenham segurança e entendimento, pois isso é tão importante o suporte de um profissional capacitado.

ALIMENTAÇÃO PARTICIPATIVA

A alimentação participativa é aquela que o bebê é agente ativo do processo de introdução da alimentação complementar, ainda que receba alimento de um intermediador.

Os cuidadores são aqueles que intermediam as preferências do bebê e o auxiliam motoramente, enquanto ele não adquire habilidade e eficiência na ingestão adequada de nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.

Mas muito além disso, a IA participativa, também incentiva as famílias a introduzirem, desde o início da introdução alimentar, os alimentos sólidos em seu formato original, possibilitando que as crianças também tenham experiências com o máximo possível de sensações desde o seu primeiro contato com os alimentos.

Dessa forma, o profissional irá auxiliar os pais com todas as informações necessárias nesse processo de introdução alimentar. Além disso, o nutricionista funcional irá ter uma visão integrativa do bebê, buscando orientar os pais na melhor conduta para evitar quadros de alergias alimentares, fortalecer o sistema imunológico, dentre outros cuidados importantes para o adequado desenvolvimento do bebê.

“O bebê é agente ativo do processo de introdução da alimentação complementar,
ainda que receba alimento de um intermediador.”