Afinal soja é bom? Intolerantes à lactose CUIDADO!

Olá pessoal, hoje o post é direcionado para os intolerantes à lactose que, muitas vezes, por desconhecimento, acabam consumindo muita soja.

É muito comum vermos em consultório, pacientes perdidos em relação à alimentação quando descobrem ser intolerantes à lactose. Isso por que acabam não sabendo o que podem comer, e/ou como substituir o leite (e seus derivados) por outros alimentos que tenham propriedades semelhantes.

Como alternativa, quase única, os mercados disponibilizam leites, iogurtes, creme de leite, chocolate, sucos, leite condensado, “queijos”,…tudo de soja!!

A soja entrou no mercado, nos últimos anos, associando-se a alimentos saudáveis. Assim, acreditamos que soja PODE!!!

E daí, o consumo acaba sendo excessivo e a alimentação monótona.

Esse alimento oferece qualidades nutricionais indiscutíveis, como proteína de boa qualidade , gorduras “ boas”, vitaminas e minerais. Mas deve-se prestar atenção, primeiramente, em como consumi-las, pois ela crua apresenta fatores antinutricionais (conhecidos como fitatos), que impede o aproveitamento dos nutrientes de uma forma geral, mas que com o cozimento desativa a maior parte desses fatores pelo aquecimento.

Outro fator importante é a qualidade da soja consumida: O famoso PTS (proteína texturizada), por exemplo, nada mais é do que proteína isolada de soja que foi compactada através de um processo industrial, sendo um resíduo químico da produção de óleo, e muitas vezes, adicionado de corante caramelo para ficar com aspecto de “corado”.

A melhor maneira de consumi-la é coagulada (tofú) ou fermentada (tempeh, ou missô), pois são melhor digeríveis e processadas pelo nosso organismo.

A onda da soja também chegou a crianças e bebês. Por considerar o grão um alimento saudável, muitas mães acabam oferecendo-o aos filhos indiscriminadamente. Os famosos suquinhos de soja têm sido lanche da maioria das crianças. O que assusta  é que por serem ricos em fitoestrógenos (hormônios vegetais), o seu consumo excessivo pode ocasionar alterações hormonais como aparecimento de mamas (telarca) precoce e menstruação (menarca) precoce.

Além disso, vemos também um maior número de pessoas com hipersensibilidade à soja, provavelmente devido ao consumo excessivo e a hábitos e comportamentos alimentares errados instalados desde a infância.

Dessa forma, espero que essas breves informações os estimulem a criar um pensamento crítico em relação à soja e ao modo de consumo de alimentos considerados popularmente saudáveis. Enfim, busquem sempre uma alimentação variada e de qualidade, com certeza sua saúde irá agradecer!